Notícias, Treinamento, Musculação, Dicas, Ortopedia, Coração, Fisioterapia, Nutrição, Pilates e muito mais…

Exercício para emagrecer, quanto mais melhor?

Exercício para emagrecer, quanto  mais melhor?

Sempre que nos propomos a adotar hábitos de vida mais saudáveis, imediatamente buscamos melhorar nossa alimentação e aumentar ou iniciar a prática de atividades físicas.
Nesse momento da empolgação inicial, nosso primeiro pensamento em relação aos exercícios é que: “quanto mais, melhor”.
Uma pesquisa recente da Universidade do Alabama, nos chama a atenção para mais um aspecto negativo decorrente do excesso de exercício (além das possíveis lesões musculoesqueléticas): a diminuição do gasto calórico proveniente das atividades de vida diária!!
Este gasto calórico diário é um fator muito importante para o bom funcionamento do metabolismo, estando relacionado com a perda de peso e/ou com o menor ganho de peso, tanto decorrente do envelhecimento quanto pós-programa de emagrecimento (o popular efeito rebote).
Nossa habilidade para desempenhar as atividades de vida diária atinge seu pico por volta dos 30 anos. Após essa idade, o declínio parece estar relacionado com a diminuição da realização de atividades físicas, diminuição da força e outros efeito decorrentes do envelhecimento.
Sendo assim, é inegável que a prática de atividades físicas, independente do tipo, é extremamente benéfica para atenuar os efeitos do envelhecimento, e auxiliar em programas de perda de peso. A questão é justamente entender qual o limite mínimo e máximo para se ter os maiores benefícios.
A partir do estudo citado anteriormente, os autores concluíram que, apesar de exercícios leves (exercício aeróbico + musculação – 1 vez por semana cada) já serem capazes de promover ganho de massa muscular e perda de gordura, foram os exercícios moderados e com médio volume (exercício aeróbico + musculação – 2 vezes por semana cada) que proporcionaram melhores resultados pois estimularam as senhoras a se manterem mais ativas no restante do dia e com isso promoveram maior gasto calórico diário.
Por outro lado, os indivíduos que se exercitaram de maneira mais intensa e com maior volume de treinamento (exercício aeróbico + musculação – 3 vezes por semana cada) gastaram menos calorias com as outras atividades ao longo do dia, prejudicando o gasto calórico total. Parece que o cansaço prejudicou a adoção de um estilo de vida mais ativo.
Conclusão: para manter a saúde e a boa forma, nada de exageros! Faça tudo com moderação!

Desenvolvido por DT Author Box

escrito por Turibio Leite de Barros

Turibio Leite de Barros

Mestre e doutor em Fisiologia do Exercício pela EPM ; Coord. do Depto de Fisiologia do E.C. Pinheiros; Professor da UNIFESP (35 anos), Coord. do Curso de Especialização em Medicina Esportiva da UNIFESP (20 anos), Fisiologista do SPFC (25anos) e colunista do JT .

http://drturibio.com/

Deixe seu comentário ou pergunta: